Trigger em SQL Server: Saiba o que é e como usar

trigger em sql

Para quem trabalha com banco de dados relacionais, a partir da linguagem padrão SQL, é comum se deparar com a situação de precisar realizar uma determinada ação de acordo com algum evento que acontecer.

É nesse contexto que entra o trigger em SQL, que são acionados, no geral, por alterações nas tabelas por meio de operações de DDL e DML.

Se você tem curiosidade em entender mais sobre essa funcionalidade, está no artigo certo. Aqui vamos trabalhar o conceito de triggers, quais são as categorias, as duas classes de um trigger SQL, além de levantar todas as vantagens do seu uso. Boa leitura!

Crie sistemas web e aplicativos mobile de forma simples e visual. Confira!

O que são Triggers na programação?

O termo trigger nada mais é do que a palavra inglês para gatilho. Dentro da programação, no entanto, ele  se define como um código de PL/SQL e uma estrutura do banco de dados que funciona, de forma automatizada, a partir de alguma ação provocada.

Essas ações podem envolver atividades de operações de comandos DML, isto é, inserção, exclusão e atualização de dados, isto é, insert, delete e update ou comandos DDL, que iremos ver mais a frente.

O que é um SQL Server

O trigger em sql está bastante associado ao conceito de SQL server. Por isso, iremos explicar mais sobre ele. Criado pela Microsoft, o SQL Server é um SGBD, isto é, um sistema de gerenciamento de banco de dados. 

Ele é considerado um dos gerenciadores mais robustos e seguros de banco de dados que se tem atualmente, atuando com sistemas de criptografia de ponta.

Considerando isso, trata-se de um sistema que oferece recursos avançados para facilitar a atualização dos dados ao mesmo tempo que garante que as informações armazenadas se mantenham confiáveis e íntegras.

Além disso, o SQL server permite que mais de um usuário acesse a mesma tabela ao mesmo tempo através de um controle inteligente, sem perder a consistência das informações.

Quais as categorias de Triggers?

As categorias de triggers podem se dividir em after ou for e instead of. Vamos falar um pouco sobre cada uma delas.

After ou For

Esse tipo de categoria faz com que o disparo se dê somente após a ação que o gerou ser concluída. No caso de ocorrer um erro, portanto, a trigger em sql não é disparada.

Esse tipo podem ser utilizados somente sobre tabelas e, além disso, há a possibilidade de  existir múltiplas triggers para cada comando DML.

Instead Of

O outro tipo de categoria é o Instead Of. Ele faz com que o trigger seja executado no lugar da ação que o gerou. Ele é essencial em casos que é necessário manter a integridade referencial entre bancos de dados.

Dessa forma, ele permite a criação de apenas uma trigger para cada comando DML, podendo ser utilizado sobre tabelas e também visões. 

No caso da última, o instead of também se usa para permitir ou estender as possibilidades de atualização sobre visões.

As duas classes de um trigger em SQL

classes trigger sql

Os triggers em SQL também se dividem em duas classes diferentes, que é a DML e a DDL. Vamos explicar melhor o conceito de ambas a seguir.

Trigger DML

Em primeiro lugar, a classe de triggers mais usada é a DML, isto é Data Modification Language.

Para esse caso, como o nome sugere, o evento de disparo é uma declaração de modificação de dados. Dessa forma, ode ser uma instrução de inserção, atualização ou exclusão em uma tabela ou em uma exibição.

Trigger DDL

Já os triggers DDL, ou seja, Data Definition Language, são o segundo tipo de classe. Para esse caso, eles são acionados a partir de eventos que alteram a estrutura e a definição de uma tabela, o que envolve ações como criar, modificar ou soltá-la.

Além disso, esses triggers podem ser acionados também em determinados eventos relacionados ao servidor, como é o caso de alterações de segurança ou atualização de eventos estatísticos, por exemplo.

Os parâmetros básicos de um Trigger em SQL

Para entender os parâmetros básicos de um trigger em SQL, é importante compreender como funciona o acionamento dele.

Isso se dá por meio do trigger em nível de linha, executada uma vez para cada linha afetada pela SQL que a disparou e o trigger em nível de declaração, executada para cada declaração SQL que é executada.

Ao disparar um trigger, esse processo segue uma determinada hierarquia que pode ser elaborada a partir de 4 etapas.

  1. (Antes) O primeiro momento é antes da declaração da trigger ser disparada pela primeira vez;
  2. (Antes) Após isso, antes da trigger disparar em nível de linha, uma vez para cada linha afetada;
  3. (Depois) A partir daí, a trigger vai ser disparada em nível de linha para cada linha afetada. Estes eventos alternarão entre antes e depois da trigger ser disparada;
  4. (Depois) Por fim, depois a declaração da trigger em nível vai ser disparada.

Usando Triggers no SQL Server

usando sql server

De forma prática, vamos ensinar como usar os triggers em sql server. O “create trigger” é o comando que permite criar um novo trigger que é acionado, de forma automática, toda vez que, dentro de uma tabela, ocorre um evento como insert, delete ou update.

Considerando isso, podemos representar a sintaxe do comando trigger.

  • CREATE  TRIGGER  [Nome_Trigger]: será o nome definido pelo usuário para o novo trigger;
  • ON  [Nome_tabela]: é a tabela à qual o trigger se aplica;
  • AFTER {[INSERT],[UPDATE],[DELETE]}: aqui estamos nos referindo o evento escolhido
  • [NOT  FOR  REPLICATION]: essa opção seguinte vai orientar o SQL Server a não acionar o gatilho, como parte de um processo de replicação, quando a modificação de dados for feita. AS {sql_statements}

Vantagens de usar um trigger

Por fim, vamos apresentar algumas vantagens de utilizar um trigger em SQL server. Em primeiro lugar, temos a garantia da imposição de segurança e integridade de todos os dados envolvidos.

Além disso, o trigger permite processos de auditoria, impede transações inválidas, oferece a replicação síncrona de tabelas, garante a automatização de tarefas e, ainda, proporciona o armazenamento das operações realizadas, isto é, logs.

Levando em conta esses processos, o trigger vai além da automatização, visto que também confere mais segurança para o banco de dados.

Crie sistemas web e aplicativos mobile de forma simples e visual. Confira!

Conclusão

Nesse artigo você pode entender mais sobre o funcionamento do trigger em sql server e como usá-lo. Alguns pontos fundamentais que ele oferece são segurança, auditoria, integridade e controle de dados.

Sendo assim, os triggers em sql são essenciais quando se tem a necessidade de disparar eventos de forma automática quando acontecer algum evento relevante!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.